Gernaide Cezar
Palavras Plásticas
CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos



Na noite
 
Na noite organizo meus atos
Escrevo no perdão palavras sonolentas
Que perpassam no escuro orgânico do silêncio
Lavando a alma numa ternura exposta
 
Ando na margem e sigo o meu reflexo
Vejo os meus olhos cheios no vazio
 O tempo furtou a lógica dos meus sonhos
Alternando o curso que caminha na luz
 
 Vejo meu tempo na razão noturna
Como um vulto colado na abstração
Sigo uma curva traçada na beleza em flores
A lembrança embaça todo meu sossego
 
E transpira no caminho um aroma em copas
Deixando na ideia uma ambição destra
Sobre todos os prantos caídos do meu signo
Para vibrar e transformar tudo em feição
 
Protegendo os meus atos contra a ferrugem
E apagando o rasgo de um tempo esquecido
Na poesia preciso caminhar em páginas
E deixar lá o meu silêncio em cores
 
  

 
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. 
 
 
 
 
 
 
 
Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 13/08/2019
Alterado em 13/08/2019


Comentários