Gernaide Cezar
Palavras Plásticas
CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Fico em silêncio

A angústia faz parte em versos
Na exatidão da água que aquece o mar
E abre  as pedras em ondas
Para a natureza deitar o som da vida
É um aniversário cansado em degraus
A alma perde o sentido e anula a ideia
Em meio ao caus a vida se lança
Sinto saudades de um mundo mais estreito
Ando léguas num pensamento sem sombra
Sinto um silêncio numa angústia profana
Vejo o sonho que o vento leva
E longe do passado a idade dobra a hora
Não sei  quando sinto aquela alegria
Tudo desfia quando o sol lento perpassa
Vejo em silêncio um muro sem forma
Ganho flores para crescer o meu chão
Mostro ao anos o meu jardim guardado
Quando em minha alma habitam cores
Para colorir os anos da minha solidão
Sem pressa para gastar a edição da vida



Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 01/12/2019


Comentários