Gernaide Cezar
Palavras Plásticas
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
O amanha surge

A lua salta dos raios em flocos
Iluminando o farol em vícios
Que gira inusitado pela face desnuda
Do dia que passa levado e sem tempo

Correndo pela ponte da vida que pulsa
Na fé que aquieta e debulha intenções
De voltar em sonhos perfumados como grãos
Deitados nos seios volumosos da terra

Tudo passa no outono pelo cálice em folha
Formando o conceito da fração
Que surge num rasto da vida
A manhã surge em gotas de um simples versar

Num dia de amanhã que surge
Em gotas de versos
De um coração que repousa
Bem na luz que abre o dia


 
Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 28/05/2021
Alterado em 28/05/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários