Gernaide Cezar
Palavras Plásticas
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Um fim de tarde

O dia parte-se em três vícios
Onde branqueia o fim da tarde
Que nasce bem em frente ao silêncio
Numa sombra falsa que vem da luz

Um arco pulsa no horizonte em essência
Num crepúsculo amontoado de sonhos
Como o balsamo que alarga a tarde
A vida segue numa credulidade que roça

O momento lacra o fim da tarde
Sobre o indicador do grau que deita o sol
Gerando uma nódoa faceira em volta
Aquecendo o espaço sombrio da noite

O vento adestra a hora no fundo do cálice
Vem o desassossego frio do tempo
Partindo em células o grão da noite
Onde a carícia cobre a solidão tímida
E ejacula na noite uma ausência escura
Volvendo o encanto submisso do seu olhar
Que palpita na pele numa quietude em desejos...





 
Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 31/05/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários