Gernaide Cezar
Palavras Plásticas
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Uma voz

Sinto uma voz em meu peito
Entre a claridade da chama e a sombra
Demonstrado os meus sonhos em vida
Das lembranças caídas no abismo


Uma voz ecoa no instante lúcido
E as arvores na sua folhagem dilatam-se
Perfumando a sonoridade do tempo
Na mácula aparente que abre o acaso

Uma voz surge na fragrância lida
No livro palpitante das branduras
Que num sopro rasurado apaga-se
E ceifa a doçura rabiscada em pauta

Uma voz dilata ardentes sonhos
Na ternura áspera do tempo
Que molha o sorriso manso do dia
Nas células floridas da primavera
Trazendo os mais ardentes desejos








 
Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 27/06/2021
Alterado em 27/06/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários